BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

sábado, 3 de julho de 2010

O primeiro amor da História do Mundo

Decidi criar esta história baseada em Adão e Eva, é uma ideia maluca, não tem nada haver com videoclipes, mas espero que gostem…haushas.
----------------------------------------
Capitulo:
Estava eu a caminhar quando de repente, sinto um toque enorme nas minhas costas, viro-me e já não me lembro mais nada, só havia uma questão “Onde é que eu estou, agora?”
Aqui estava eu, sozinho abandonado, totalmente longe do mundo em que me rodeia, deitado no chão, só me questionava onde estaria, lembro-me de estar no planeta Marte, meu local de nascimento, de momento para outro encontro-me num sitio deserto totalmente deserto.
Estava confuso, muito confuso, eu realmente nunca tinha visto esta maravilhosa terra, sim é o nome que vou passar a chamar a isto, Terra.
De um instante para o outro avisto, a mulher mais bonita que eu já vira na minha existência vida, ela estava deitada no chão, parecia que estava a dormir, será que se tinha passado o mesmo com ela, do que me acontecera comigo.
De repente, ela a levantasse, eu notara que ela estava com a mesma expressão que estava a pouco, confusão.
Até que os olhos dela alcançam o meu, nós não parávamos de olhar um para outro, eu decerto estava encanto com a beleza da rapariga que possuía a minha frente.
Ela começou-se a aproximar perigosamente de mim, quando de um ápice ela me alcança, e interroga-me:
-“Quem és tu, senhor?” – Eu não conseguia pronunciar nada, nenhuma palavra, nem sequer me mexer, eu estava totalmente enfeitiçado por esta morena, a morena mais bonita que eu já vira na minha irrevogável existente vida. Eu notei que ela estava impaciente a espera da minha adequada resposta, que ela ainda não tinha oportunidade de ouvi-la. Dei um pequeno suspiro, ante de responder a questão que ela me colocara.
-“Zachary Efron e você como se chama?” – eu demandei um sorriso de leve, eu observava o contraste de todo aquele corpo, neste momento ela encontrava-se na mesma situação do que eu, nua.
-“Vanessa Hudgens” – ela sorriu, eu fiquei inteiramente encantado com a perfeição do sorriso dela. O sorriso mais completo que eu já tivera a oportunidade de visualizar.
-“O que te aconteceu, também vieste parar a este sítio invulgar sem saber como? – ela acenou que sim com a cabeça e depois eu continuei: “Podes me disser como aconteceu”? – ela pronunciou “sim” com o tom da sua voz baixa e depois proferiu num tom desordenado:
-“Bem….estava andar pelo meu planeta Mercúrio, quando sinto que alguém me toca nas costas e depois não me recordo de mais nada” – ela demandou um sorriso, aquele sorriso estremeceu o meu corpo todo.

(…)

Passavam-se dias, meses, tornamo-nos amigos, melhores amigos, eu tinha que me controlar, mas eu só sentia desejo por ela, e precisava de a possuir, eu tinha que a possuir.
Mas houve um dia, que aquilo que eu mais desejasse que acontecesse, aconteceu mesmo.
Nós estávamos a caminhar um ao lado do outro, quando de um momento para outro nos olhamos um para outro, agindo instintivamente e de uma maneira selvagem, ela beijou-me.
O nosso primeiro beijo, o beijo mais delicioso, aromático, que eu tive a oportunidade de senti-lo e saboreá-lo.
O meu corpo estava a mergulhar num calor sensual. Eu deitei-a no chão e coloquei-me de joelhos sobre ela e comecei a acariciá-la com tanta habilidade que fez com que Vanessa arquear o corpo e agarrar-lhe os ombros com as garras afiadas e urgência e correu-as pelas costas, eu posei a minha boca no seio dela. O desejo inundou-nos e principalmente quando as minhas mãos desceram até a calcinha dela. Eu não me contive e escorreguei a mão para procurar a intimidade dela, naquele instante ela gemeu. (…)

Eu a guiei pela viagem dos prazeres. Estávamos neste momento, deitados e abraçados, eu estava a pensar naquilo que tinha acabado de acontecer, quando ela de repente profere:
“Eu amo-te” – proferiu ela, eu fiquei encantado aquela palavra vindo dela, sabia melhor, era como fosse uma música que eu estivesse a ouvir e me agradasse aquilo que acabara de escutar.
“Eu também ….Ti amo” – ela demandou um sorriso, eu também retribui o sorriso que ela me tinha demandado.
Eu estava apaixonado, totalmente apaixonado por esta feiticeira, a minha feiticeira.
Era amor puro e verdadeiro que existira entre nós.
Foi esse mesmo amor com a Vanessa, deu muitos frutos deliciosos, sim nasceu dois filhos lindíssimos gémeos, a que lhe designamos o nome Beatriz e Leonardo.

Narradora:

Assim, depois da morte destinada entre estas duas belíssimas criaturas, Zachary e Vanessa, os filhos deles Beatriz e Leonardo fizeram a reconstrução do Mundo, até chegarem a actualidade em que vivemos.

E assim cresceu a Terra, nome proposto por Zachary.

O que diz o velho e antigo ditado: O amor prevaleça sempre.

Fim!!!

Comentários:

Line: Olá:) Ainda bem que gostaste, eu adorei escrever…:) beijokas Te adoro tbm…

Maria: Olá:) ainda bem que gostaste da história e principalmente da última parte fico muito feliz:) beijokas Te adoro

Baby J: Olá:) O teu videoclipe é o próximo…ainda bem que gostaste…fico feliz:) Beijokas

4 comentários:

Amanda disse...

cristy vc e muitoo doida kkkkk nao serio eu ri muito dessa shot nao sei pq e que fico meio comico zac e vanessa como adao e eva e por isso q eu adoro suas fics vc tira umas coisas que eu ja mais imaginaria!
e fico muito bom vc e demais.
bjs

Maria disse...

Olaa..!!

Mas que ideia mais instantania...!! Acho que ninguem se tinha lembrado disso...!!

Inspiraste-te na história de Adão e Eva..!! Como se Zac e Vanessa tivessem criado o mundo...!!
Adorei...!! Todos nós descendiamos de Zac e Vanessa...!!

Como te ocorre estas ideias??
és expetacularr...!! Adoro-te...!!

Beijinhos grandes...!!

Rita disse...

Oi!
Eu acho que faço a mesma pergunta que a maioria das pessoas como e que tu consegues inventar estas pequenas historias assim do nada? Eu concordo plenamente com a Maria tu és espectacular Cristy, quem me dera a mim ter a tua criatividade e o teu geito de escrever, tu davas-me um geito nas aulas de Português que nem imaginas! suahsa'
Adorei o facto de teres feito a historia inspirada em Adão e Eva gosto mais da ideia de descender-mos de Zanessa do que de Adão e Eva.
Tu escreves mesmo muito bem! Continua assim! =D
Beijões

Baby j disse...

Está fantástico!!! Como todos os outros. Nem sei como foste buscar esta ideia de versão Zanessa do Adão e Eva, acho que eu na minha vida inteira não me iria lembrar de uma coisa destas, nunca. Mas está optimo. Parabéns!!!